11 de maio de 2015

[Resenha] Cidades de Papel - John Green

"Quentin Jacobsen tem uma paixão platônica pela magnífica vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman. Até que em um cinco de maio que poderia ter sido outro dia qualquer, ela invade sua vida pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. 
Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola e então descobre que o paradeiro da sempre enigmática Margo é agora um mistério. No entanto, ele logo encontra pistas e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele achava que conhecia."

O livro conta a história de Quentin Jacobsen, um adolescente que tem paixão platônica por sua vizinha, a bela Margo Roth Spiegelman. Em uma noite Margo aparece no quarto de Quentin vestida de ninja e o convida para executar um plano de vingança. Depois dessa noite ele acredita que tudo mudará entre eles, mas Quentin não contava com uma coisa: o desaparecimento de Margo. Após tomar conhecimento do fato ele começa uma intensa busca pelo paradeiro de sua amada, e envolve seus amigos na tal busca.

Q (é como Quentin é chamado pelos amigos) é vizinho de Margo desde os dois anos de idade. Quando crianças brincavam juntos, mas com o passar do tempo acabaram se distanciando. Agora ela faz parte da turma dos populares da escola, mas não faz o tipo fútil e cabeça de vento. É uma garota legal, que tem o poder de apaziguar as coisas e permitir que os nerds tenham um pouco de paz durante sua estadia na escola - o que faz com que Quentin goste ainda mais dela.

Já Q é um garoto tranquilo, inteligente e com poucos amigos. Quando Margo desaparece ele é o primeiro a se preocupar com ela. Encontra algumas pistas deixadas por ela e começa a segui-las, na esperança de encontrar Margo. Ao longo dos anos ele criou uma certa imagem dela, mas conforme sua busca avança Q percebe que a verdadeira Margo é bem diferente dessa que ele acredita conhecer.

"Que coisa mais traiçoeira é acreditar que uma pessoa é mais que uma pessoa." (pág. 337).

Quando comecei a ler esse livro não tinha ideia do que me esperava. Havia lido alguns comentários que diziam que era engraçado e divertido, mas vai muito além disso. Essa história de fato me surpreendeu. Ela fala sobre como muitas vezes não conhecemos as pessoas que estão ao nosso redor, aquelas que convivemos; também fala de como criamos imagens dessas pessoas, e muitas vezes tais imagens não correspondem com quem realmente são essas pessoas.

John Green nos propicia boas reflexões ao longo da história, e em algumas partes é possível olhar para dentro de nós mesmos, nos conhecermos um pouco mais. Acabamos nos identificando com algumas coisas. É o tipo de história que faz com que você se apaixone por ela. E essa acabou se tornando uma das minhas favoritas.

Mesmo contendo reflexões filosóficas a história é leve e divertida, muito boa de se ler. Demorei um pouco mais para concluir a leitura por conta da correria do dia-a-dia, mas se não fosse por isso com certeza teria terminado mais rápido. Outra coisa que me agradou foi o fato do autor conseguir ligar todos os fios soltos da história, de forma que todas as perguntas foram respondidas. Dei 4 estrelas apenas por conta de alguns erros de revisão.

"- Nada acontece como a gente acha que vai acontecer - diz ela." (pág. 354).

18 comentários:

  1. Odiei
    Pior livro do Green e descobri uma coisa com isso, que ele só tem um livro bom.
    No aguardo dele me surpreender

    Beijos

    http://penelopeetelemaco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma pena que você não tenha gostado, eu achei a história muito legal. Tomara que descubra mais livros do John Green que vc goste ;)

      Excluir
  2. Oiii amei seu blog e principalmente seus posts que são maravilhosos! Irei visita-lo sempre:) já estou seguindo!!!
    Dê uma passadinha lá no meu blog, e caso goste siga: http://garotaexemplar2015.blogspot.com/ beijoos

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem ?
    Então, já ouvi falar muito desse livro (quem não, ne?) mas nunca senti vontade de ler. E já li um livro do Jão Verde. Assim, gostei mas não amei, sabe? Foi indiferente. Um dia ainda lerei esse livro, mas esse dia não é hoje huehue

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thai! Tudo bem, e vc?
      Tomara que vc dê uma chance a esse livro, afinal de contas é uma história que proporciona boas reflexões. Acredito que não vai se arrepender.
      Beijos

      Excluir
  4. Estou querendo ler esse livro ja faz um tempo e com a sua resenha só aumento ainda mais rsrsrs
    Perfeita a resenha.
    Lorrainne
    Amo Livros e Filmes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Lorraine!
      Fico feliz em saber que de alguma forma minha resenha te ajudou.
      Beijos

      Excluir
  5. Olá, tudo bem?
    Eu vim retribuir a sua visita no D&B, muito obrigada!

    Cara, eu ainda não li esse livro! Li várias críticas e quase nenhum elogio sobre ele e isso me desanimou um pouco de lê-lo, maaaas, a sua resenha me animou novamente! Eeeeee \0/

    Amo a forma que o tio João Verde escreve, e vou recolocar esse livro na minha lista de desejados.

    Ótima resenha, parabéns! <3

    Gostei muito do seu blog e já estou seguindo!

    Beijos e até!

    www.dreamsandbooks.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Lorrane!
      Que bom que vc se animou para ler esse livro. Como eu disse na resenha, esse se tornou um dos meus favoritos. Espero que goste.
      Beijos

      Excluir
  6. Eu nunca li nada do John
    vejo mais coisas negativas do que positivas sobre os livros dele
    que bom que você gostou
    quem sabe me animo mais em conhecer as obras dele

    ⋙ ♥ SORTEIO BOX NICHOLAS SPARKS
    ⋙ ♥ Blog Livros com café
    ⋙ ♥ Instagram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou meio suspeita para falar sobre ele, afinal de contas é um dos meus autores favoritos, rs. Mas dê uma chance, quem sabe você gosta.

      Excluir
  7. Oi Erica!
    Tenho vontade de ler essa obra do JG, mas acho que vou acabar vendo o filme primeiro, rs. Acho que é a primeira resenha totalmente positiva que leio a respeito dele XD
    Gosto muito desse lado reflexivo do JG <3
    Bjs!
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse lado reflexivo dele é mesmo bem bacana. Estou ansiosa para assistir ao filme, vamos ver até que ponto eles foram fiéis à obra.
      Beijos

      Excluir
  8. Eu não tenho certeza se eu não gostei desse livro em si, ou se todo meu problema é com a Margo! Sério, que menina chata e pedante por atenção! Kkkkk Não tenho paciência para gente assim.
    Beijos

    http://itsfangirltime.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Fernanda, a Margo é um caso sério rs. Mas até que eu entendo o motivo de querer tanta atenção para si. Com aqueles pais que ela tem, só mesmo chamando atenção para que eles olhem para ela.
      Beijos

      Excluir
  9. Olá! Tudo bem?
    Fiquei muita animada para fazer a leitura desse livro.
    Parabéns pela resenha.
    Boas leituras e beijinhos de Espanha! :)
    http://abracalibro.blogspot.com.es

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Tudo bem, e vc? Bom, tomara que vc goste do livro tanto quanto eu. Obrigada pela visita.
      Beijos

      Excluir