20 de julho de 2017

[Resenha] O navio das noivas - Jojo Moyes

"Austrália, 1946. É terminada a Segunda Guerra Mundial, chega o momento de retomar a vida e apostar novamente no amor.
Mais de seiscentas mulheres embarcam em um navio com destino a Inglaterra para encontrar os soldados ingleses com quem se casaram durante o conflito.
Em Sydney, Austrália, quatro mulheres com personalidades fortes embarcam em uma extraordinária viagem a bordo do HMS Victoria, um porta-aviões que as levará, junto de outras noivas, armas, aeronaves e mil oficiais da Marinha, até a distante Inglaterra. As regras no navio são rígidas, mas o destino que reuniu todos ali, homens e mulheres atravessando mares, será implacável ao entrelaçar e modificar para sempre suas vidas.
Enquanto desbravam oceanos, os antigos amores e as promessas do passado parecem memórias distantes. Ao longo da viagem de seis semanas apesar de permeada por medos, incertezas e esperanças amizades são formadas, mistérios são revelados, destinos são selados e o felizes para sempre de outrora não é mais a garantia do futuro que foi planejado.
Com personagens únicas e uma narrativa tocante, Jojo Moyes conta uma história inesquecível que captura perfeitamente o espírito romântico e de aventura desse período da História, destacando a bravura de inúmeras mulheres que arriscaram tudo em busca de um sonho.
O navio das noivas foi inspirado na história da avó da autora, que fez a mesma travessia relatada no romance para reencontrar o marido no período pós-guerra, e cada capítulo traz citações não ficcionais de esposas e oficiais que viajaram nesses navios."

O fim da Segunda Guerra Mundial chegou e é hora dos reencontros. O navio HMS Victoria sai de Sidney rumo à Inglaterra levando mais de seiscentas mulheres que desejam reencontrar os maridos, com os quais se casaram durante o conflito. Elas partem em direção a um futuro incerto, mas cheias de esperança. 

12 de julho de 2017

[Resenha] Zac e Mia - A.J. Betts

"A última pessoa que Zac esperava encontrar em seu quarto de hospital era uma garota como Mia - bonita, irritante, mal-humorada e com um gosto musical duvidoso.
No mundo real, ele nunca poderia ser amigo de uma pessoa como ela.
Mas no hospital as regras são diferentes. Uma batida na parede do seu quarto se transforma em uma amizade surpreendente.
Será que Mia precisa de Zac? Será que Zac precisa de Mia? Será que eles precisam tanto um do outro?
Contada sob a perspectiva de ambos, Zac e Mia é a história tocante de dois adolescentes comuns em circunstâncias extraordinárias."

Zac tem leucemia e fez transplante de medula óssea, e agora espera o fim de seu período de isolamento para ir para casa. 
Mia tem osteosarcoma, que é um tipo de câncer no osso, e é a nova vizinha de quarto de Zac. Ela não está lidando bem com essa nova descoberta. Após algumas batidas na parede e espiar pela janela do quarto do garoto, Mia encontra Zac no facebook e decide adicioná-lo. Como Zac está isolado não pode sair do quarto e o chat da rede social é o único meio de comunicação que eles têm. Por conta do tratamento os dois tem o hábito de acordar às 3h da manhã e é nesse horário improvável para conversas que compartilham seus medos e expectativas em relação a doença.

"Há tanta coisa que ela ainda não compreende: que fica melhor, que não é culpa dos médicos. 'Não lute', eu quero dizer. 'Não puxe a alavanca da Saída de Emergência. Tome as pílulas e aproveite o passeio como der'."

11 de junho de 2017

Como surgiram as festas juninas?


Olá, pessoas, tudo bem? Não sei vocês, mas para mim junho é um dos meses mais legais, afinal de contas temos festa junina. Essa tradição é bem forte aqui onde moro e algumas vezes as festas se estendem até o mês de agosto. E por tanto gostar decidi pesquisar a origem dessa festa e compartilhar com vocês. 

6 de junho de 2017

[Resenha]Sonata em Punk Rock - Babi Dewet

Por que alguém escolheria uma orquestra se pode ter uma banda de rock? Essa sempre foi a dúvida de Valentina Gontcharov. Entre o trabalho como gerente do mercado do bairro e as tarefas de casa, o sonho de viver de música estava, aos poucos, ficando em segundo plano. Até que, ao descobrir que tem ouvido absoluto e ser aceita na Academia Margareth Vilela, o conservatório de música mais famoso do país, a garota tem a chance de seguir uma nova vida na conhecida Cidade da Música, o lugar capaz de realizar todos os seus sonhos.No conservatório, Tim, como prefere ser chamada, terá que superar seus medos e inseguranças e provar a si mesma do que é capaz, mesmo que isso signifique dominar o tão assustador piano e abraçar de vez o seu lado de musicista clássica. Só que, para dificultar ainda mais as coisas, o arrogante e talentoso Kim cruza seu caminho de uma forma que é impossível ignorar. Em um universo completamente diferente do que estava acostumada, repleto de notas, arpejos, partituras, instrumentos e disciplina, Valentina irá mostrar ao certinho Kim que não é só ele que está precisando de um pouco de rock’n’roll, mas sim toda a Cidade da Música.

Valentina mora com a mãe e há muito tempo não tem notícias do pai. Isso por que ele preferiu investir em seu talento de músico a ter que assumir a responsabilidade de criar uma criança. Tempos depois de tê-las abandonado ele resolve aparecer do nada querendo bancar os estudos da filha, e isso justamente quando ela é aceita na Academia Margareth Vilela, o melhor conservatório de música do país. Seu pai é Alexander Gontcharov, Violinista famoso e que parece não querer ter sua preciosa imagem manchada por ter abandonado a filha. Ele foi um brilhante aluno da Margareth Vilela e já que seu outro filho não tem habilidades musicais, resolve investir na primogênita, a fim de manter sua boa reputação.

25 de maio de 2017

[Resenha] Mentirosos - E. Lockhart

"Os Sinclair são uma família rica e renomada, que se recusa a admitir que está em decadência e se agarra a todo custo às tradições. Assim, todo ano eles passam as férias de verão numa ilha particular. Cadence — neta primogênita e principal herdeira —, seus primos Johnny e Mirren e o amigo Gat são inseparáveis desde pequenos, e juntos formam um grupo chamado Mentirosos. Cadence admira Gat por suas convicções políticas e, conforme os anos passam, a amizade com aquele garoto intenso evolui para algo mais.
Mas tudo desmorona durante o verão de seus quinze anos, quando Cadence sofre um estranho acidente. Ela passa os próximos dois anos em um período conturbado, com amnésia, depressão, fortes dores de cabeça e muitos analgésicos. Toda a família a trata com extremo cuidado e se recusa a dar mais detalhes sobre o ocorrido… até que Cadence finalmente volta à ilha para juntar as lembranças do que realmente aconteceu.
'Mentirosos' é um suspense moderno e sofisticado, impossível de largar até que todos seus mistérios sejam desvendados. Ao mesmo tempo, a prosa lírica e o estilo seco e denso o fará mergulhar de cabeça no mundo dos Sinclair e nas crescentes angústias de Cadence — para então vir à tona completamente impactado."


Os Siclair são uma família rica, tradicional e e tem um padrão físico: todos são brancos, altos e loiros. Logo se importam muito com a imaculada imagem da família. Eles possuem uma ilha particular onde passam todos os verões. No verão dos quinze anos de Cadence, a neta mais velha e futura herdeira, ela sofre um acidente e passa a ter amnésia seletiva e fortes dores de cabeça. Assim, nossa protagonista não se lembra de nada que aconteceu naquelas férias.

10 de maio de 2017

[Resenha] A garota no trem - Paula Hawkins

"Um thriller psicológico que vai mudar para sempre a maneira como você observa a vida das pessoas ao seu redor.   
Todas as manhãs Rachel pega o trem das 8h04 de Ashbury para Londres. O arrastar trepidante pelos trilhos faz parte de sua rotina. O percurso, que ela conhece de cor, é um hipnotizante passeio de galpões, caixas d’água, pontes e aconchegantes casas.
Em determinado trecho, o trem para no sinal vermelho. E é de lá que Rachel observa diariamente a casa de número 15. Obcecada com seus belos habitantes – a quem chama de Jess e Jason –, Rachel é capaz de descrever o que imagina ser a vida perfeita do jovem casal. Até testemunhar uma cena chocante, segundos antes de o trem dar um solavanco e seguir viagem. Poucos dias depois, ela descobre que Jess – na verdade Megan – está desaparecida.
Sem conseguir se manter alheia à situação, ela vai à polícia e conta o que viu. E acaba não só participando diretamente do desenrolar dos acontecimentos, mas também da vida de todos os envolvidos. 
Uma narrativa extremamente inteligente e repleta de reviravoltas, A garota no trem é um thriller digno de Hitchcock a ser compulsivamente devorado."

Todos os dias Rachel pega o trem das 8h04 em direção a Londres. Por conta do trajeto sempre passa atrás da rua onde morava com Tom, quando ainda eram casados. Mas não é sua antiga casa ou os novos moradores que ela observa, e sim Jess e Jason (o nome que ela mesma deu a eles), o casal que mora no número 15. Rachel fantasia a vida deles e constrói em sua mente o relacionamento perfeito do casal que ela sequer conhece. Até que um dia ela vê uma cena um tanto curiosa e poucos dias depois descobre que Jess – que na verdade se chama Megan – desapareceu.

“Observar desconhecidos na segurança do lar, por algum motivo, me traz uma sensação de tranquilidade.”  Rachel

28 de abril de 2017

[Filme] O Lar das Crianças Peculiares

Ficha técnica:
Direção: Tim Burton
Elenco: Eva Green, Asa Butterfield, Samuel L. Jackson 
Gêneros: Aventura, Família, Fantasia
Nacionalidades: EUA, Bélgica, Reino Unido
Duração: 2h03min

Sinopse:
Após a estranha morte de seu avô (Terence Stamp), o jovem Jake (Asa Butterfield) parte com seu pai para o País de Gales. Lá ele pretende encontrar a Srta. Peregrine (Eva Green), atendendo ao último pedido do avô, que lhe disse que "ela contará tudo". Só que, ao chegar, descobre que o local onde ela viveria é uma mansão em ruínas, que foi atingida por um míssil durante a Segunda Guerra Mundial. Ao investigar a área, Jake descobre que lá há uma fenda temporal, onde a Srta. Peregrine vive e protege várias crianças dotadas de poderes especiais.

Desde pequeno Jacob sempre ouviu de seu avô histórias que envolviam monstros. Mas não era qualquer história, era a história da vida do vovô Portman. Ele foi criado em um orfanato e narra – com o auxílio de fotos – o que viu e ouviu junto com as outras crianças que moravam ali. Conforme cresce, Jake deixa de acreditar nessas histórias e é convencido pelos adultos da família que vovô Portman está ficando biruta.