16 de abril de 2015

[Resenha de filme] Cinderela


"Após a trágica e inesperada morte do seu pai, Ella (Lily James) fica à mercê da sua terrível madrasta, Lady Tremaine (Cate Blanchett), e suas filhas Anastasia e Drisella. A jovem ganha o apelido de Cinderela e é obrigada a trabalhar como empregada na sua própria casa, mas continua otimista com a vida. Passeando na floresta, ela se encanta por um corajoso estranho (Richard Madden), sem desconfiar que ele é o príncipe do castelo. Cinderela recebe um convite para o grande baile e acredita que pode voltar a encontrar sua alma gêmea, mas seus planos vão por água abaixo quando a madrasta má rasga seu vestido. Agora, será preciso uma fada madrinha (Helena Bonham Carter) para mudar o seu destino..."

O filme conta a história de Ella, uma garotinha que mora com os pais. Após contrair uma grave doença a mãe de Ella morre, deixando-a sozinha com o pai. Agarrado à esperança de ser feliz novamente ele se casa com uma também viúva muito bonita, que se chama Lady Tremaine. Ela tem duas filhas "adoráveis", Anastasia e Drisella.

O pai de Ella viaja muito a trabalho e em uma dessas viagens fica gravemente doente e acaba não resistindo. Assim a pobre Ella fica totalmente órfã e entregue aos  cuidados da madrasta má. Lady Tremaine e suas filhas fazem dela a empregada da casa, colocam-na para dormir no sótão e lhe dão para comer somente as sobras das refeições. Seus únicos companheiros são uns ratinhos muito simpáticos que vivem na casa.


Cinderela (como agora é chamada pela madrasta e pelas irmãs postiças) um dia sai para cavalgar pela floresta e encontra um jovem e belo rapaz, pelo qual logo se encanta. Ele deixa que ela acredite que é apenas um aprendiz, quando na verdade é bem mais que isso.

Pouco tempo depois é anunciado que haverá um baile no castelo para todas as moças da região, sejam elas nobres ou não, pois o príncipe está em busca de uma esposa. Cinderela logo se anima, pois tem esperanças de reencontrar o jovem aprendiz que conheceu na floresta. A madrasta, é claro, não permite que ela vá.

Para que possa realizar tal feito nossa candidata a princesa vai contar com a ajuda de uma criativa fada madrinha, que transforma tudo o que vê por aí. Mas ela adverte: o encanto se desfaz a meia-noite.

Essa era uma das estreias mais aguardadas por mim neste ano. Sou fã de contos de fadas, então não podia deixar de assistir esse. Não me decepcionei. Os personagens são todos muito bem construídos, principalmente a Cinderela. Lily James interpretou muito bem o papel, com graça, postura e leveza. Não imagino outra atriz no lugar dela. Outro personagem que gostei foi um dos guardas do príncipe. Ele é esperto, muito legal e em um determinado momento vai dar uma ajudinha para a Cinderela.
Os figurinos também são lindos, muito bem planejados, em especial o vestido que a Cinderela usa no baile. Digno de uma princesa! 
Mas o que mais gostei foram os efeitos especiais. E olha que nem assisti em 3D. Graças aos efeitos você entra na magia da história. É tudo muito bonito e bem feito.

Esse filme é altamente indicado para quem gosta de contos de fadas. Vale lembrar que caso você decida assisti-lo no cinema vai se deparar com muitas crianças. Eu não me importo com isso, mas foi meio estranho ser uma das poucas pessoas com mais de 10 anos naquela sala.

5 comentários:

  1. Quero muito ver o filme :) A história da Cinderela é uma das minhas preferidas.

    ResponderExcluir
  2. Olá,
    eu assisti duas vezes! A história é a mesma da versão da Disney, achei lindo os vestidos, cenários, os efeitos
    Muito bem trabalhado, além claro da mensagem que passa!
    beijos
    http://entree-virgulas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Concordo Isadora! É tudo muito bem trabalhado e a mensagem é bem bacana.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Gostei da resenha. Curioso para ler.
    Estou investindo em leituras desse tipo agora. Boa dica!

    dialetosecoisasboas.blogspot.com

    ResponderExcluir